Polícia Civil emite nota sobre prisão de suspeito de matar sargento em Patos

A prisão aconteceu em cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão em Patos e João Pessoa.

A Polícia Civil emitiu uma nota nesta quinta-feira (13), esclarecendo a prisão do suspeito de assassinar a tiros o sargento Wellington dos Santos, em janeiro na cidade de Patos, na Paraíba. A prisão aconteceu na quarta-feira (12), no bairro de Mangabeira, em cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão em Patos e João Pessoa.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito está preso na Central de Polícia de João Pessoa, aguardando audiência de custódia que acontece ainda nesta tarde.

Confira

Na tarde de ontem (12/02/2020), por volta das 16h00min, a Polícia Civil, em ação conjunta da Delegacia de Homicídios de Patos e da Delegacia de Homicídios de João Pessoa, deu cumprimento ao Mandado de Prisão Preventiva contra o suspeito de ter assassinado o SGT WELLINGTON DOS SANTOS, fato ocorrido em 31/01/2020, na cidade de Patos.

Na ação da Polícia Civil, além do mandado de prisão preventiva, expedido contra o suspeito, foram cumpridos ainda 4 (quatro) mandados de busca e apreensão, sendo 2 (dois) na cidade de Patos e 2 (dois) na cidade de João Pessoa. O suspeito encontra-se na Central de Polícia de João Pessoa, aguardando a audiência de custódia, que será realizada na tarde de hoje. 

A Delegacia de Homicídios de Patos esclarece ainda que todas as diligências investigativas foram exauridas, sendo colhidos fortes indícios de autoria e materialidade delitiva contra o ora indiciado, com o depoimento de testemunhas, coleta de imagens nas proximidades do local do crime e ações de inteligência, enfim, circunstâncias que não deixam dúvidas sobre a autoria do indigitado preso ontem na cidade de João Pessoa. 

O indiciado responderá pela prática de homicídio qualificado, sendo o inquérito policial remetido ao Poder Judiciário, no prazo legal, para que o Ministério Público, ator processual, ofereça a competente ação penal e o mesmo seja levado a julgamento, seguindo todos os ditames processuais legais vigentes.

Fonte: Clickpb – Polícia Civil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.